Acórdão do Tribunal de Justiça (Grande Secção) de 2 de maio de 2012.