Acórdão do Tribunal da Função Pública (Primeira Secção) de 16 de julho de 2015.